Economia

Dívida pública fecha 2021 acima de R$ 5,6 trilhões

Redução de gastos com a pandemia segurou crescimento

Fonte:EBC
26 de Janeiro de 2022 as 16h 00min

© Marcello Casal JrAgência Brasil

A Dívida Pública Federal – que inclui o endividamento interno e externo do Brasil – fechou 2021 em R$ 5,613 trilhões, informou hoje (26) a Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Economia. O valor representou aumento de 12% em relação a 2020, quando a dívida estava em R$ 5 trilhões.

Em relação a novembro, o valor representou alta de 2,09% quando a dívida era de R$ 5,498 trilhões. Apesar do alto volume de emissões em dezembro, a dívida ficou dentro dos limites estabelecidos pelo Plano Anual de Financiamento (PAF) de 2021, que determinava que a dívida pública poderia fechar o ano passado entre R$ 5,5 trilhões e R$ 5,8 trilhões.

No ano passado, o PAF inicialmente previa que a Dívida Pública Federal poderia encerrar 2021 em R$ 5,9 trilhões. Por causa da redução das incertezas relativas à pandemia de covid-19, o limite foi reduzido para R$ 5,8 trilhões em maio.

Dívida interna e externa

A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi), que é a parte da dívida pública no mercado interno, teve o estoque ampliado em 2,22% em dezembro, passando de R$ 5,233 trilhões para R$ 5,349 trilhões. Esse crescimento da dívida ocorreu por causa da apropriação positiva de juros, no valor de R$ 47,5 bilhões (quando os juros da dívida são incorporados ao total mês a mês), e pela emissão líquida mensal de R$ 68,91 bilhões (quando o Tesouro emitiu mais títulos do que resgatou).

O estoque da Dívida Pública Federal Externa (DPFe), captada do mercado internacional, caiu 0,59% no último mês de 2021, encerrando o ano em R$ 264,72 bilhões (US$ 47,44 bilhões). O principal motivo foi a queda de 0,7% do dólar no mês passado. Desse total, R$ 228,60 bilhões (US$ 40,96 bilhões) referem-se à dívida mobiliária (em títulos no mercado internacional) e R$ 20,77 bilhões (US$ 4 bilhões), à dívida contratual (com bancos e organismos internacionais).

Recursos

Por meio da dívida pública, o Tesouro Nacional emite títulos públicos para pegar emprestado dinheiro dos investidores e honrar compromissos financeiros. Em troca, compromete-se a devolver os recursos depois de alguns anos, no vencimento do papel, com algum rendimento. A correção pode seguir a taxa Selic (juros básicos da economia), a inflação, o câmbio ou ser prefixada (definida com antecedência).

Em dezembro, os maiores detentores da dívida pública eram as instituições financeiras (29,45%). O estoque desse grupo passou de R$ 1,519 trilhão para R$ 1,575 trilhão de novembro para dezembro.

Em seguida, estão os fundos de investimento, com uma fatia de 23,97%; os fundos de Previdência, com 21,74%; os investidores estrangeiros (10,56%); o governo (4,39%); as seguradoras (3,88%) e outros (6,01%). A participação dos estrangeiros recuperou-se em 2021 e terminou o último mês do ano no maior nível desde fevereiro de 2020, antes do início da pandemia de covid-19.


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Economia

Economia

Mapa lança campanha para promover produto orgânico

Ministério trabalha para que o setor ganhe escala

20 de Maio de 2022 as 20h00

Economia

Economia anuncia contingenciamento de R$ 8,7 bilhões do Orçamento

No primeiro semestre foram bloqueados R$ 1,7 bilhão

20 de Maio de 2022 as 18h00

Economia

Ministério da Economia analisa cálculo de reajuste dos planos de saúde

Percentual a ser aplicado em 2022 será próximo a 15,8%, prevê Abramge

20 de Maio de 2022 as 17h15

Economia

Sefaz apresenta projeções orçamentárias para 2023 em audiência pública

Dados são preliminares e podem sofrer alterações até a aprovação do PLDO na Assembleia Legislativa

20 de Maio de 2022 as 15h15

Economia

Startups podem obter crédito para acessar soluções tecnológicas

Programa Serpro Booster apoia empresas em negócios inovadores

19 de Maio de 2022 as 19h30

Economia

Ministério da Economia mantém previsão do PIB em 1,5%

Estimativa para a inflação deste ano sobe para 7,9%

19 de Maio de 2022 as 16h15

Economia

Ministro: privatização pode aumentar recursos para infraestrutura

Guedes participou de evento da plataforma Arko Advice e Traders Club

19 de Maio de 2022 as 14h00

Economia

Safra de café 2022 pode chegar a 53,4 milhões de sacas

Clima adverso impacta produção no país

19 de Maio de 2022 as 10h30

Economia

Turismo nacional cresce 43,5% em março, aponta FecomercioSP

Faturamento foi de R$ 15,4 bilhões

18 de Maio de 2022 as 16h45

Economia

Petrobras lança edital de R$ 20 milhões para startups

Inscrições para 4º edital do módulo já estão abertas

18 de Maio de 2022 as 14h15

Economia

Número de empregados na construção civil fica estável em abril

Os dados constam do boletim Sondagem Industrial da Construção

18 de Maio de 2022 as 12h00

Economia

Trabalhadores nascidos em junho podem sacar até R$ 1 mil no FGTS

Caixa fará o depósito em poupança digital

18 de Maio de 2022 as 06h00

Economia

Ministro afirma que bioeconomia deve ser prioridade no país

Avaliação é do titular da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim

17 de Maio de 2022 as 20h30

Economia

Monitor do PIB aponta crescimento de 1,5% no primeiro trimestre

Na passagem de fevereiro para março aumento foi 1,8%, diz FGV

17 de Maio de 2022 as 11h00

Economia

Sefaz apresenta para a sociedade diretrizes orçamentárias de 2023

População pode participar pela transmissão ao vivo no Youtube da Secretaria de Fazenda

17 de Maio de 2022 as 09h15

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO