Economia

Empresas estaduais e municipais poderão pegar R$ 3 bi emprestados

Novo sublimite foi aprovado pelo Conselho Monetário Nacional

Fonte:EBC
25 de Novembro de 2021 as 20h 30min

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Até o fim do ano, as empresas estaduais e municipais poderão pegar R$ 3 bilhões emprestados no sistema financeiro sem garantia da União (sem o Tesouro Nacional cobrindo eventuais calotes). O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou um sublimite nesse valor para essas companhias, com base em remanejamentos dentro do limite máximo que o setor público pode contratar em 2021.

Neste ano, União, estados, municípios e o Distrito Federal podem pegar até R$ 20,5 bilhões emprestados em bancos e organismos internacionais. Esse teto não foi alterado, mas sublimites dentro do valor máximo foram reduzidos para abrir espaço para as estatais locais pegarem empréstimos.

Dos R$ 3 bilhões autorizados, R$ 2,5 bilhões foram remanejados do limite autorizado para as operações com garantia da União, que caiu de R$ 9 bilhões para R$ 6,5 bilhões. Os R$ 500 milhões restantes vieram do remanejamento de operações sem garantia da União para órgãos e entidades dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, que caiu de R$ 11 bilhões para R$ 10,5 bilhões.

A medida não trará despesas para o Tesouro Nacional. A decisão apenas facilitará o trabalho das estatais locais, que tinham de disputar espaço fiscal com os governos estaduais, as prefeituras e o governo do Distrito Federal na hora de pegarem empréstimos. O novo limite será aplicado apenas para as futuras operações de crédito. Os empréstimos e financiamentos atuais continuarão registrados no limite de operações sem garantia da União.

Para serem enquadradas no limite de R$ 3 bilhões, as empresas estaduais e municipais precisarão cumprir uma série de critérios. Elas precisarão gerar receitas próprias há pelo menos dez anos, ser listadas na B3 (a bolsa de valores brasileira) e ser avaliadas com grau de investimento (garantia de selo de que não haverá calote) por alguma agência de classificação de risco registrada ou reconhecida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Contabilidade

O CMN também aprovou alterações nas regras de empréstimos de instituições financeiras para o setor público. A partir de 1º de janeiro, as instituições financeiras não deverão registrar no Patrimônio de Referência as linhas de crédito contratadas e não utilizadas e os recursos das linhas contratadas que ainda não foram liberados. Embora, na prática, o procedimento ocorra dessa forma, a regra não estava explicitada pelo Conselho Monetário.

A segunda mudança diz respeito às operações de créditos com garantias em transferências da União, que permitem ao governo federal reter repasses aos Fundos de Participação dos Estados e dos Municípios em caso de calote. O custo efetivo máximo das operações, que inclui juros, impostos e taxas, poderá ser até 25% mais alto que o custo efetivo máximo das operações com garantia direta da União, quando o Tesouro cobre calotes com recursos próprios. Segundo o Ministério da Economia, essa regra já está estabelecida numa portaria editada em 2017.

Outras decisões

O CMN também aumentou a segurança na aplicação de recursos de regimes próprios de Previdência Social (RPPS), que custeiam a aposentadoria do funcionalismo público, tanto federais, como estaduais e em municípios de maior porte. Os investimentos obedecerão a regras mais rígidas de transparência, como a separação entre os recursos próprios desses regimes e os aportes dos governos, e a uma série de outras normas.

Em outra decisão, o Conselho Monetário modernizou a forma como os bancos contabilizam instrumentos financeiros e reconhecem a relação de proteção nas operações de hedge (quando um investidor contrata uma operação no mercado futuro para se proteger de uma queda de preço ou de alta de custos). Segundo o Banco Central (BC), a mudança alinha a contabilidade das instituições financeiras brasileiras às normas internacionais.


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Economia

Economia

Copom aumenta taxa básica de juros para 9,25% ao ano

Essa foi sétima alta consecutiva

08 de Dezembro de 2021 as 18h00

Economia

Abate de frangos e suínos no Brasil registra recorde, diz IBGE

Foram abatidos 13,72 milhões de suínos e 1,54 bilhão de frangos

08 de Dezembro de 2021 as 09h45

Economia

Resolução indica INSS fixar teto de juros para empréstimo consignado

O documento está publicado hoje no Diário Oficial da União

08 de Dezembro de 2021 as 06h45

Economia

Pequenos negócios geraram quase 80% das vagas de trabalho em outubro

Levantamento é do Sebrae, com base em dados do Caged

08 de Dezembro de 2021 as 05h45

Economia

Preço médio do gás de cozinha fica em R$ 95 nos últimos seis meses

Cuiabá foi a capital com maior valor para botijão de 13 quilos

07 de Dezembro de 2021 as 16h00

Economia

Aneel aprova reajustes nas tarifas de energia do Acre e de Rondônia

Novos índices entram em vigor na próxima segunda-feira

07 de Dezembro de 2021 as 14h30

Economia

Comissão do Senado aprova PL para estabilizar preço dos combustíveis

Projeto de lei visa amortecer impacto de aumentos do petróleo no país

07 de Dezembro de 2021 as 13h30

Economia

Empregadores têm até hoje para quitar parcelas suspensas do FGTS

Pagamento termina nesta terça-feira

07 de Dezembro de 2021 as 09h00

Economia

Copom inicia reunião para definir taxa básica de juros

Selic está atualmente em 7,75% ao ano

07 de Dezembro de 2021 as 05h15

Economia

Petrobras vende três usinas termelétricas localizadas na Bahia

Operação foi concluída com pagamento de R$ 61 milhões à estatal

06 de Dezembro de 2021 as 19h45

Economia

Confira calendário de pagamentos do INSS de 2022

Depósitos seguirão a sequência de anos anteriores

06 de Dezembro de 2021 as 09h30

Economia

Indicador do mercado de trabalho atinge menor nível desde abril

Recuo foi de 4,1 pontos de outubro para novembro

06 de Dezembro de 2021 as 09h15

Economia

Agência Brasil explica como são calculados os juros

Entenda o que são juros simples, compostos e reais

06 de Dezembro de 2021 as 05h15

Economia

Copom define taxa básica de juros nesta semana

Mercado financeiro espera por nova alta da Selic para 9,25% ao ano

05 de Dezembro de 2021 as 12h30

Economia

Guedes: subida dos juros deve provocar desaceleração na economia

Para ele, política econômica segue caminho correto

04 de Dezembro de 2021 as 17h30

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO