Estado

Censo mostra que Rio tem 1.318 crianças e adolescentes acolhidos

Dados são do 27º Censo da População Infanto Juvenil Acolhida no RJ

Fonte:EBC
24 de Setembro de 2021 as 18h 30min

© Arquivo/Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O 27º Censo da População Infanto Juvenil Acolhida no Estado do Rio de Janeiro, divulgado hoje (24) pelo Ministério Público estadual (MPRJ), mostra que havia no estado 1.318 crianças e adolescentes acolhidos, sendo 1.094 (83%) em acolhimentos institucionais e 136 (10,32%) em famílias acolhedoras.

Do total, 161 menores estavam aptos para adoção (12,22%). Os dados foram coletados no dia 30 de junho passado. O anúncio foi feito de maneira virtual, com transmissão ao vivo pela página do Instituto de Educação Roberto Bernardes Barroso (IERBB/MPRJ) no YouTube.

Apresentados pelo coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça da Infância e Juventude (CAO Infância e Juventude/MPRJ), Rodrigo Medina, os dados revelam que do total de crianças e jovens acolhidos, 681 não recebiam visita, sendo a maior parte (571) encontrada em acolhimentos institucionais. O município do Rio detinha. no dia 30 de junho. o maior percentual da população infantojuvenil acolhida no estado a cada 10 mil habitantes, equivalente a 33,16%.

Em seguida, aparecem Campos dos Goytacazes (7,44%), Nova Iguaçu (4,56%), São Gonçalo (3,87%), Niterói (3,34%), Duque de Caxias (2,28%). Do total de 437 crianças e adolescentes acolhidos na capital fluminense, 417 eram do próprio município e 20 de outras cidades.

As faixas etárias de 0 a 6 anos de idade e de 7 a 11 anos respondiam pelos maiores números de acolhidos (426, ou 32,32%, e 892, ou 22,38%), respectivamente, mostra o censo. Do total de 1.318 crianças e jovens acolhidos, 849 (64,42%) estudam e 469 (35,58%) não estudam.

Motivos de acolhimento

Negligência foi o principal motivo de acolhimento de 487 crianças e adolescentes, correspondendo a 36,95% do total. Em seguida, aparecem abandono pelos pais e responsáveis (119, ou 9,03%); situação de rua (97, ou 7,36%); abuso físico ou psicológico (84, ou 6,37%).

Rodrigo Medina alertou que, devido à pandemia do novo coronavírus, a impossibilidade de cuidado dos menores pelos responsáveis por motivo de doença respondeu pelo acolhimento de 49 menores (3,72%). Em seguida, aparece entrega voluntária: 43 menores (3,26%). O censo aponta que em junho de 2019, a entrega voluntária ocupava a 18ª posição no ranking, subindo em junho de 2021 para a 10ª colocação.

Um total de 48,36% dos menores acolhidos por negligência e 6,10% pela impossibilidade do responsável de cuidar por motivo de doença estava na faixa de 0 a 6 anos de idade (206 e 26 crianças, respectivamente). Da mesma forma, do total de 681 crianças e jovens que não recebiam visita, 218 estavam na primeira infância (16%) e 200 na faixa de 12 a 15 anos (29,37%). Da totalidade de 1.318 acolhidos, 839 tinham ações judiciais, 198 tinham procedimentos judiciais, enquanto 281 não tinham nem ações nem procedimentos judiciais em 30 de junho deste ano.

Estavam aptas à adoção pelo MCA, 161 crianças, das quais 45 estavam disponíveis há mais de cinco anos e menos de dez anos. “Isso é muito preocupante”, afirmou Medina. Dos aptos à adoção, a raça negra, que engloba pretos e pardos, respondia por 140 menores. Os brancos somavam 21 crianças e jovens; os pretos, 64; e os pardos, 76.

Raça e sexo

Do total de 1.318 acolhidos, 1.048 eram da raça negra (cerca de 80% do total), sendo que 32% estavam na primeira infância; 606 pertenciam ao sexo feminino e 712 ao sexo masculino. Medina destacou que no primeiro censo, divulgado em 31 de maio de 2008, o total de acolhidos no estado do Rio de Janeiro alcançava 3.732. Graças à evolução normativa, às modernizações legislativas, ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e ao monitoramento propiciado pelo MCA, o número foi reduzido.

O total de denúncias de violências e abusos contra crianças e adolescentes atingiu 29.592 no primeiro trimestre de 2020, caindo para 20.021 no quarto trimestre do ano passado. No segundo trimestre de 2021, o número de denúncias voltou a subir, alcançando 25.254. Na avaliação do MPRJ, o isolamento social imposto para impedir a disseminação da covid-19 foi responsável por grande parte das violências contra menores de idade, sendo que 80% das violências ocorreram na casa da vítima.

No período de março a junho de 2019, os novos acolhimentos somaram 1.365. No mesmo período de 2020, o número caiu para 638, com redução de mais de 50% durante a pandemia do novo coronavírus. Medina ressaltou que essa redução poderia ser interpretada como um dado positivo, mas “no contexto da pandemia representa menor proteção”. Já o comparativo entre o segundo semestre de 2020 e o primeiro semestre de 2021 revela que o número de novos acolhimentos subiu de 1.504 para 1.526, sinalizando recomposição do patamar anterior que, em 2019, era de 1.300 ocorrências, com tendência de entrada de novos acolhimentos.

Ainda de acordo com o censo, de março a junho de 2019 foram registrados 1.361 desligamentos de serviços de acolhimento, contra 904 em igual período de 2020. A queda de 33% é atribuída ao impacto da pandemia, que “desorganizou toda a rede de acolhimento de crianças e adolescentes. Teve redução na porta de entrada e também de saída”.

No cenário atual, considerando o primeiro semestre de 2021, foram registrados 1.520 desligamentos, contra 1.687 no segundo semestre do ano passado, quando ocorreu aumento em torno de 70% dos desligamentos.

Direitos

O secretário nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Maurício Cunha, destacou que a parceria com o Ministério Público é extremamente relevante no sistema de garantia de direitos, na política do direito à convivência familiar e comunitária, especialmente das crianças em situação de maior vulnerabilidade. “Nos preocupa muito a situação do acolhimento institucional. É objetivo do Brasil que toda criança viva em família, que toda criança seja protegida”. Lembrou os artigos 4 e 5 do ECA que falam de dever da família e da comunidade em geral e do Poder Público de garantir proteção às crianças e jovens e que se referem também à convivência familiar e comunitária.

Cunha ressaltou que nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, violência, exploração, crueldade ou pressão. O secretário mencionou que o Poder Executivo está trabalhando bastante, de modo a privilegiar o acolhimento familiar como prioridade. “Precisamos sair da nossa marca de apenas 4% das nossas crianças no acolhimento familiar e 96% no acolhimento institucional”. Ele disse que nos acolhimentos institucionais é preciso que haja garantia dos direitos dessas crianças, “que não sejam um novo espaço de revitimização”.

A secretaria está trabalhando em uma nova política inovadora, que já foi iniciada na sociedade civil de alguns estados, mas que o governo pretende espalhar para todo o Brasil, que é o Programa Família Solidária.

“É o acolhimento familiar para crianças do Programa de Proteção de Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM). Maurício Cunha informou que são mais ou menos 400 crianças e jovens ameaçados de morte no Brasil, que não precisarão mais estar no acolhimento institucional, mas estarão em acolhimento familiar. O programa tem recursos do Fundo Nacional deliberado pelo Conselho Nacional dos Direitos da criança e do Adolescente (Conanda).

O próximo censo será realizado no dia 30 de dezembro.


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Estado

Estado

Escultura Meteoro, em frente ao Itamaraty, passará por restauração

Peça faz parte do cartão-postal da Esplanada dos Ministérios

20 de Outubro de 2021 as 19h30

Estado

Ensino e tecnologia: proposta do Novo Ensino Médio é apresentada a estudantes da rede estadual

Grupo Ciência e Show fez uma participação especial em evento, com atividades criativas que estimulam aprendizado de química e física

20 de Outubro de 2021 as 18h15

Estado

Quarta-feira (20): Mato Grosso registra 544.229 casos e 13.901 óbitos por Covid-19

Há 76 internações em UTIs públicas e 38 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 27% para UTIs e 7% em enfermarias

20 de Outubro de 2021 as 17h30

Estado

Secretária de Assistência Social participa do Seminário Políticas Públicas para e com as Mulheres

Na ocasião, Rosamaria Carvalho representava a primeira-dama do Estado, Virginia Mendes.

20 de Outubro de 2021 as 17h30

Estado

Circuito Empreendedor atende mais de 200 pequenos empresários em Jaciara

O evento levou até os empreendedores da região Sul do Estado oficinas, palestras e orientações técnicas

20 de Outubro de 2021 as 17h30

Estado

Plano de saúde do servidor público não terá reajuste

Estado decidiu não aplicar reajuste previsto em mais de 10% no plano de saúde, relativo aos anos de 2020 e 2021

20 de Outubro de 2021 as 17h00

Estado

Governo de Mato Grosso assina acordo de colaboração com universidade da China

SUSE tem cerca de 42 mil estudantes, sendo 600 estrangeiros, 76 cursos em 9 áreas e investimentos em pesquisa de R$ 130 milhões no último ano

20 de Outubro de 2021 as 16h00

Estado

Sistema Sigadoc é implantado na Casa Civil e Secretaria de Comunicação a partir desta quarta-feira (20)

O sistema é um projeto do governador Mauro Mendes, que tem como meta oferecer um serviço público de melhor qualidade à sociedade

20 de Outubro de 2021 as 15h30

Estado

Batalhão Ambiental da PM completa 38 anos de proteção à fauna e flora mato-grossense

Este ano, as equipes do BPMPA fecharam 14 garimpos ilegais e registraram 1.891 boletins de ocorrências; 1 mil animais foram resgatados, sendo que 292 deles foram devolvidos à natureza

20 de Outubro de 2021 as 15h00

Estado

Técnicos da Empaer participam de treinamento para auxiliar produtores de piscicultura

Foram três dias de treinamento divididos entre teoria com noções de manejo e comercialização e na prática com exemplos de tipos de produtores

20 de Outubro de 2021 as 15h00

Estado

Sema-MT intensifica aporte de água com caminhões-pipa para atender animais do Pantanal

O Estado oferta água por meio da Defesa Civil e em caminhões da Sema-MT; a média é de três caminhões-pipa ao dia para aporte de água

20 de Outubro de 2021 as 14h45

Estado

Escola de Governo abre inscrições para capacitação em Planejamento Orçamentário

A qualificação será realizada na modalidade de Ensino a Distância (EAD) e de modo presencial. Período de inscrição para aulas online segue até o dia 29

20 de Outubro de 2021 as 14h30

Estado

Procon Estadual suspende expediente nesta sexta-feira (22)

Medida tem o objetivo de preservar a saúde e a segurança de servidores e consumidores, devido à pandemia de Covid-19

20 de Outubro de 2021 as 14h30

Estado

Correios ficará com o "osso" caso não seja privatizado, diz ministro

Faria diz que restará à empresa a entrega de cartas

20 de Outubro de 2021 as 13h15

Estado

PF prende ex-deputado do Amapá em operação contra o tráfico de drogas

O líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), questionou nesta quarta-feira (20) o indiciamento de Jair Bolsonaro proposto pelo rel...

20 de Outubro de 2021 as 13h00

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO