Judiciário

STF inicia julgamento sobre validade de acordos coletivos de trabalho

A sessão foi suspensa e a data para retomada será marcada por Fux

Fonte:EBC
17 de Junho de 2021 as 18h 45min

© Marcello Casal JrAgência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a decidir hoje (17) sobre a validade das normas coletivas de trabalho. A Corte julga a legalidade da chamada ultratividade dos acordos e convenções. 

Na sessão desta tarde, os ministros ouviram as sustentações orais de sindicatos e entidades de trabalhadores. Após a exposição dos argumentos dos advogados, a sessão foi suspensa e uma data para retomada do julgamento será marcada pelo presidente da Corte, ministro Luiz Fux. Em 1º de julho, o STF entrará em recesso de trinta dias, e a pauta de julgamentos para as próximas semanas está definida. 

No julgamento, os ministros devem definir se direitos definidos em acordos e convenções coletivas têm validade de dois anos ou só podem ser modificados por meio de um novo acordo. 

A discussão está em torno da Súmula 277 do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). 

Histórico

Em 2012, o TST definiu que as normas coletivas têm ultratividade, ou seja, somente podem ser alteradas a partir de um novo acordo entre as empresas e os trabalhadores. 

Em 2016, o ministro Gilmar Mendes atendeu ao pedido liminar feito pela Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen) e suspendeu os processos que tratam da questão na Justiça do Trabalho até que o STF defina a questão. 

Em 2017, a reforma trabalhista impediu a ultratividade dos acordos. Pelo artigo 614, ficou definido que “não será permitido estipular duração de convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho superior a dois anos, sendo vedada a ultratividade.    

Defesa da ultratividade 

Durante o julgamento, o advogado da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Indústria Quimica (CNTQ), José Eymard Loguercio, defendeu a ultratividade dos acordos e afirmou que a regra cria segurança jurídica. 

“O que ocorre quando não se tem a ultratividade? Em cada data-base, as categorias precisam retomar a negociação do patamar zero, ou seja, o aumento da conflitualidade” afirmou. 

Para a advogada Zilmara David de Alencar, representante de diversos sindicatos e confederações de trabalhadores, a ultratividade é essencial para a pacificação de conflitos. Segundo Zilmara, os direitos só podem ser modificados por um novo acordo. 

“Nós estamos falando de uma relação emprego onde um determinado direito ou uma determinada obrigação foi instituída e considerada, e que não pode, por um determinado lapso temporal, ser retirada daquela relação que estabeleceu sem que também seja fruto de uma negociação coletiva”, argumentou. 


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Judiciário

Judiciário

Justiça confirma demissão por recusa à vacina contra covid-19

Auxiliar de limpeza de hospital paulista recusou imunização duas vezes

23 de Julho de 2021 as 19h45

Judiciário

STF mantém condenação do ex-governador do Rio Wilson Witzel

Ex-governador do Rio foi condenado por crime de responsabilidade

23 de Julho de 2021 as 09h15

Judiciário

Defensoria de SP entra com ação para garantir vacinação de presos

Inspeções revelaram que há presos idosos que ainda não foram vacinados

21 de Julho de 2021 as 20h00

Judiciário

Justiça mantém prisão preventiva de Jairinho e Monique Medeiros

Casal responde pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos

20 de Julho de 2021 as 14h45

Judiciário

MP denuncia 12 policiais por homicídio de jovens em Paraisópolis

Um policial foi denunciado por colocar pessoas em perigo com explosão

20 de Julho de 2021 as 11h45

Judiciário

AGU regulamenta acordo de não persecução em casos de improbidade

Negociação deve prever ressarcimento de danos, perda de bens e multa

19 de Julho de 2021 as 18h15

Judiciário

Bolsonaro diz que indicação de Mendonça para o STF deve sair hoje

Presidente falou com a imprensa após reunião com Luiz Fux

12 de Julho de 2021 as 18h30

Judiciário

PF abre inquérito para apurar conduta do presidente no caso Covaxin

A instauração foi feita após autorização da ministra do STF Rosa Weber

12 de Julho de 2021 as 16h00

Judiciário

Barroso reafirma que nunca foi registrada fraude nas urnas eletrônicas

Segundo o presidente do TSE, o sistema permitiu a alternância no poder

09 de Julho de 2021 as 18h00

Judiciário

Publicado decreto que concede aposentaria a Marco Aurélio Mello

Ministro do STF completa 75 anos

09 de Julho de 2021 as 09h00

Judiciário

Covid-19: MP investiga pessoas que tomaram até quatro doses de vacina

A revacinação pode ser punida com reclusão de um a cinco anos

08 de Julho de 2021 as 20h30

Judiciário

Procuradoria entra com ação de improbidade contra ex-ministro Pazuello

Ação cita diversos episódios ocorridos durante gestão do ex-ministro

02 de Julho de 2021 as 20h15

Judiciário

PGR pede abertura de inquérito sobre o presidente no caso Covaxin

Manifestação foi encaminhada à ministra Rosa Weber, do STF

02 de Julho de 2021 as 12h00

Judiciário

Para Rosa Weber, PGR não deve aguardar CPI para apurar caso Covaxin

Ministra foi escolhida, por sorteio, relatora da notícia-crime no STF

02 de Julho de 2021 as 10h15

Judiciário

Ministro Lewandowski anuncia que trabalhará no recesso do Judiciário

A Corte entra em recesso na sexta-feira

30 de Junho de 2021 as 18h00

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO