Política

Deputados aprovam regulamentação de emendas de relator; senadores ainda têm que votar

Os deputados federais aprovaram, com 268 votos a favor, 31 contra e 1 abstenção, o projeto de resolução que altera regras das emendas de relator no...

Fonte:Agência Senado
29 de Novembro de 2021 as 19h 15min

Marcos Oliveira/Agência Senado

Os deputados federais aprovaram, com 268 votos a favor, 31 contra e 1 abstenção, o projeto de resolução que altera regras das emendas de relator no Orçamento (emendas RP9), limitando o volume de recursos e obrigando a identificação dos autores. O PRN 4/2021 ainda tem que ser votado pelos senadores. A matéria foi aprovada na forma do texto substitutivo apresentado pelo relator no Congresso, o senador Marcelo Castro (MDB-PI). Ele rejeitou todas as 22 emendas apresentadas.

Marcelo Castro disse que as emendas de relator-geral no Orçamento sempre existiram, mas que considera excessivo o volume de recursos dos últimos anos. Ele afirmou que seu substitutivo dará "transparência absoluta” para essas emendas a partir de agora, e limitará o valor delas. O senador explicou que o projeto de resolução busca dar cumprimento à liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido dos partidos Cidadania, Psol e PSB, sobre o chamado “orçamento secreto”.

— Primeiro, que o orçamento secreto não existe. O Orçamento é acessível a todos. A execução orçamentária é que não estava sendo contemplada, essa parte de quem havia solicitado. (...) o Supremo tribunal Federal, eu entendo que em boa hora, cobrou desta Casa a transparência total desses recursos de RP9, o que eu acho que foi um ganho, e interpreto isso como sendo assim um freio de arrumação que deu o STF, fazendo com que daqui para a frente o Congresso Nacional possa identificar de maneira clara, insofismável, aquele recurso daquela programação pública, daquela política pública, quem foi o solicitante daquele recurso. (...) Nós estamos atendendo 100% à decisão do Supremo Tribunal Federal — garantiu Marcelo Castro.

O substitutivo apresentado pelo relator determina que as mudanças só valerão para o Orçamento de 2022, ou seja, não abrangem as emendas de 2020 e 2021. "O passado não está na resolução. A resolução não tem poder para isso", ponderou. O relator observou que ato conjunto das Mesas da Câmara e do Senado já decidiu, na sexta-feira (26), ser impossível estabelecer retroativamente um procedimento para registro das emendas.

O PRN 4/2021 teve origem no Ato Conjunto das Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal 1/2021, publicado para “dar cumprimento à decisão judicial e garantir maior publicidade e transparência à execução orçamentária das despesas classificadas com o indicador de Resultado Primário (RP) 9 (despesa discricionária decorrente de emenda de relator-geral) das Leis Orçamentárias Anuais de 2020 e 2021”. O ato também publicou mais de 600 páginas com emendas RP9 desses anos, sem indicação dos solicitantes.

O ato das Mesas informa que há “risco grave, iminente e irreparável decorrente da não execução orçamentária” dessas emendas até o fim de 2021. De acordo com o documento, estão represados, pelo menos, R$ 7,5 bilhões.

O texto aprovado permite ao relator-geral “realizar indicações para execução das programações” oriundas de solicitações recebidas “de parlamentares, de agentes públicos ou da sociedade civil”. Solicitações e indicações terão que ser publicadas individualmente “e disponibilizadas em relatório em sítio eletrônico pela Comissão Mista de Orçamento (CMO) e encaminhadas ao Poder Executivo”.

A CMO publicou dados relativos a 2020 e 2021. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o presidente da Câmara, Arthur Lira, também já enviaram petição ao STF solicitando o restabelecimento dessas emendas na execução do Orçamento. A relatora no tribunal é a ministra Rosa Weber.

O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) criticou a proposta por entender que os solicitantes de emendas RP9 em 2020 e 2021 precisam ser identificados também.

— Transparência, não propõe: é a consagração da imoralidade praticada, é uma espécie de anistia para atos praticados anteriormente e a garantia de que a clandestinidade no repasse de recursos públicos continuará prevalente, já que permite, sim, o registro dos nomes beneficiados, mas não o obriga. (...) Foram R$ 30 bilhões no ano de 2020 e R$ 8 bilhões neste ano de 2021. (...) Nós não estamos denunciando a existência de corrupção, mas nós temos que denunciar a possibilidade de corrupção, porque essa prática do "orçamento secreto" abre, sim, portas para a prática da corrupção — afirmou o senador.

O substitutivo aprovado determina um teto para o valor das emendas de relator equivalente à soma das emendas impositivas individuais e de bancada.

O projeto de lei orçamentária para 2022 reserva R$ 10,5 bilhões para emendas individuais e R$ 5,7 bilhões para emendas de bancada estadual. Com isso, as emendas de relator-geral do Orçamento teriam um teto de R$ 16,2 bilhões no Orçamento do ano que vem. O valor é próximo das emendas de relator deste ano, que têm uma dotação de R$ 16,8 bilhões.

Atualmente, o valor das emendas de relator é decidido na votação do parecer preliminar do projeto de lei orçamentário. Marcelo Castro observou que a comissão pode decidir por um valor inferior ao teto. "Em 2018, o relator-geral não apresentou emendas", acrescentou.

Por sua vez, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) afirmou ser possível identificar cada um dos solicitantes de emendas RP9 neste ano e no ano passado. Para ele, o ato das Mesas e o substitutivo de Castro são inconstitucionais.

Presidindo a sessão, o deputado Marcelo Ramos (PL-AM) defendeu a importância da aprovação.

— É necessária sua aprovação dentro do prazo de elaboração desta norma até 22 de dezembro. Não é razoável adiar uma matéria com desfechos tão relevantes para a sociedade — argumentou Ramos.

A deputada Talíria Petrone (Psol-RJ) afirmou que o projeto de resolução burla a decisão do STF que suspende a execução de emendas de relator.

Ramos respondeu que a resolução não poderia burlar a decisão do STF, porque não a modifica.

— A resolução é uma coisa, a decisão do Supremo é outra. A resolução não tem o condão de suspender a decisão do Supremo. A decisão do Supremo está mantida e seguirá mantida com resolução ou sem resolução. Só o Supremo pode desfazer sua própria decisão. A resolução dá transparência, mas não tem o condão de suspender os efeitos da ação do Supremo — disse Ramos.

A deputada Adriana Ventura (Novo-SP) afirmou que o projeto de resolução não resolve os problemas de transparência nas emendas de relator, porque não exige a identificação das indicações de parlamentares para emendas empenhadas anteriormente. "Não há isonomia nas indicações de emendas de relator. É uma afronta à Constituição", protestou.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também criticou a votação. Para ele, a resolução “faz de conta que muda para manter tudo como está”, descumprindo a decisão do STF.

Diversos parlamentares afirmaram que vão recorrer ao STF contra a aprovação da resolução.

Com informações da Agência Câmara Notícias


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Política

Política

Projeto estabelece punição para quem não denuncia violência contra pessoa com deficiência

Marina Ramos/Câmara dos Deputados Marreca Filho destaca que muitos não denunciam por medo O Projeto de Lei 1994/22 altera o Estatuto da Pessoa co...

09 de Agosto de 2022 as 13h45

Política

Projeto institui regras gerais para processos administrativos fiscais

Elaine Menke/Câmara do Deputados O autor da proposta, Paulo Eduardo Martins O Projeto de Lei Complementar (PLP) 88/22, do deputado Paulo Eduardo ...

09 de Agosto de 2022 as 12h15

Sorriso

Escola Municipal Jardim Bela Vista é a ganhadora da semifinal do Programa Soletrando

A grande final será no dia 19 de agosto

09 de Agosto de 2022 as 11h45

Sorriso

Rodrigo Machado indica praça com playground e academia para o Jardim das Américas

09 de Agosto de 2022 as 11h30

Sorriso

Diogo Kriguer solicita bebedouro e vestiários para o campo do Bairro São José II

09 de Agosto de 2022 as 11h30

Sorriso

Zé da Pantanal indica instalação de câmeras de monitoramento no Cemeis Balão Mágico

09 de Agosto de 2022 as 11h30

Política

CDH promove audiência pública para debater situação das comunidades quilombolas

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) promove nesta quarta-feira (10), a partir de10h, uma audiência pública interativa para debater a situação das ...

09 de Agosto de 2022 as 11h15

Política

Projeto facilita concessão de medida protetiva para vítima de violência doméstica

Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados A autora da proposta, Tabata Amaral O Projeto de Lei 1890/22 facilita a concessão de medida protetiva de urgênc...

09 de Agosto de 2022 as 11h00

Política

Campanha eleitoral começa em 16 de agosto, e propaganda no dia 26; veja regras

Thiago Fagundes/Agência Câmara A propaganda eleitoral dos candidatos que disputam as eleições de 2022 será iniciada oficialmente no dia 16 de ago...

09 de Agosto de 2022 as 11h00

Sorriso

Vereador participa de lançamento do mutirão de atendimentos da Energisa

09 de Agosto de 2022 as 10h15

Política

MP que mudou data de pagamento a empregado doméstico perde a validade

Perdeu a validade no último domingo (7) a medida provisória (MPV) 1.107/2022, que estabeleceu novas datas para o recolhimento de encargos por parte...

09 de Agosto de 2022 as 10h15

Política

Pauta da CAS tem projeto que assegura quitação de débitos com INSS em rescisões trabalhistas

Questões trabalhistas e previdenciárias estão na pauta da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) desta quarta-feira (10), a partir das 11h. Os senadore...

09 de Agosto de 2022 as 10h00

Política

CAE debate na quinta situação do mercado de reforma de pneus

O impacto econômico da venda de pneus novos diretamente pelos fabricantes aos transportadores será debatido pela Comissão de Assuntos Econômicos (C...

09 de Agosto de 2022 as 09h15

Política

Projeto pune o plágio ou comércio de trabalho acadêmico

Michel Jesus/Câmara dos Deputados Carla Zambelli, autora da proposta O Projeto de Lei 1820/22 tipifica como crime a conduta de plagiar ou comerci...

09 de Agosto de 2022 as 08h45

Política

Manifestos pela democracia são reações bem-vindas, diz Pacheco na OAB

Homenageado nesta segunda-feira (8) pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o presidente do Senado e do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pache...

08 de Agosto de 2022 as 19h00

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO