Estudo

Polarização política e ''fake news'' impactam confiança no jornalismo

Estudo do Instituto Reuters destaca poder de plataformas digitais

Fonte:Fonte: Jonas Valente | Agência Brasil
13 de Junho de 2019 as 23h 14min

A polarização política e a disseminação de notícias falsas (também conhecidas como fake news) vêm minando a confiança da sociedade nos veículos jornalísticos. Além disso, a produção de informação online vem sendo marcada pelo poder de plataformas (como Facebook e Google) e pela ampliação de serviços pagos, como os que exigem assinatura.

As conclusões estão no Relatório de Notícias Digitais 2019 (Digital News Report), elaborado pelo Instituto Reuters e divulgado ontem (12). O estudo é o mais amplo e notório sobre o mercado jornalístico e os hábitos de consumo de notícias dos usuários na Internet, realizado a partir de entrevistas com leitores em 38 países em seis continentes, entre eles o Brasil.

A radicalização da disputa política e a disseminação de desinformação apareceram como fenômenos importantes na divulgação de informação na web. O Brasil foi o país com maior preocupação manifestada sobre se uma notícia é verdadeira ou falsa: 85% dos entrevistados disseram ter esse receio.

Outros países com alto índice de preocupação foram Reino Unido (70%) e Estados Unidos (67%). Já entre nações europeias o índice foi menor, como na Alemanha (38%) e Holanda (31%). Frente a este cenário, 24% afirmaram ter deixado de ler notícias de veículos com reputação dúbia.

“A polarização política encorajou o crescimento de agendas partidárias online que juntamente com os caça-cliques e várias formas de desinformação estão ajudando a minar a confiança na midia, levantando novas questões sobre como entregar reportagens equilibradas a justas na era digital”, analisou Nic Newman, um dos autores do estudo.

Confiança

Como resultado, a confiança das pessoas nos veículos jornalísticos caiu dois pontos, de 44% para 42%. O sentimento é mais fraco no tocante às informações obtidas por meio de mecanismos de busca, como Google, (33%) ou por redes sociais, como Facebook, Twitter e Instagram. Na comparação entre países, a confiança foi menor na França (24%).

O percentual de pessoas que disseram evitar qualquer tipo de conteúdo jornalístico cresceu 6%, chegando a quase um terço das pessoas ouvidas (32%). Essas pessoas justificaram essa posição pela influência que o noticiário causa no humor e pela sensação de impotência para mudar os eventos.

Entre os entrevistados, 42% avaliaram que os meios de comunicação fiscalizam pessoas e instituições poderosas. A maioria das pessoas considerou que a mídia é mais eficiente em manter as pessoas atualizadas sobre o que ocorre no mundo e nos seus países (62%) do que em explicar os acontecimentos (51%).

Conteúdo pago

O consumo pago de serviços noticiosos aumentou pouco no último ano. Os percentuais mais altos se dão em países nórdicos, como Noruega (34%) e Suécia (27%). Nos Estados Unidos, o número ficou estável em 16%, a partir uma elevação em 2017, após a vitória do presidente Donald Trump e as polêmicas sobre desinformação nas eleições e no país.

Nos locais em que essa prática é mais comum, em geral os leitores assinam apenas um serviço. Isso mostra uma lógica de concentração nos serviços pagos, naquilo que na economia se chama “vencedor-leva-tudo”. Uma tendência identificada no estudo foi uma preferência maior de pessoas por conteúdos pagos de entretenimento em relação a notícias, como nas assinaturas de serviços como Netflix (vídeo) e Spotify (música).

Redes sociais

Os aplicativos de trocas de mensagens têm ganhado espaço como fonte de informação das pessoas entrevistadas, fazendo com que o consumo fique mais “privado”. O Whatsapp se tornou a principal fonte de notícias em países como o Brasil (53%), Malásia (50%) e África do Sul (49%). No caso do Brasil, a centralidade do Whatsapp (utilizado por mais de 130 milhões de pessoas) levantou debates como no caso do seu papel nas eleições do ano passado.

O relatório também indicou um movimento de pessoas que se informam em grandes grupos de redes sociais com pessoas que não conhecem. No Brasil, essa prática foi registrada em 22% dos participantes do levantamento. Na Turquia, esse índice ficou em 29%. Os percentuais são bastante diferentes de países mais ricos, como Canadá (7%) e Austrália (7%).

Plataformas

Além das plataformas de redes sociais, o estudo também destacou o papel de serviços de agregação de notícias, como Google News ou Apple News. Nos Estados Unidos, este último é utilizado por mais pessoas (27%) do que um veículo tradicional como o Washington Post (23%).

As plataformas também têm se tornado fonte por meio de seus assistentes virtuais. Modelos como Amazon Echo e o Google Home cresceram, segundo o estudo. A prática de se informar por esses dispositivos cresceu de 7% para 14% no Reino Unido, 5% para 11% no Canadá e 9% para 12% nos Estados Unidos.


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Variedades

Perspectivas 2022

30 profissões que estarão em alta em 2022; confira os salários

No segundo ano de pandemia, os desafios continuaram, mas setores como tecnologia, finanças, vendas e marketing estão em alta; veja dicas

01 de Janeiro de 2022 as 10h52

Febre no Tik Tok

Luverdense conquista mais de 3 milhões de visualizações no Tik Tok

Um dos vídeos viralizou e alcançou mais de 1 milhão de visualizações

07 de Dezembro de 2021 as 09h36

Economia Local

Empresários de móveis planejados vêm oportunidades na pandemia e inauguram loja em Lucas do Rio Verde

Muitos espaços residenciais e coorporativos precisaram ser totalmente reformulados durante a crise de saúde pública. Novo empreendimento também gera emprego e renda para o município.

21 de Setembro de 2021 as 10h19

Empréstimo

Como saber se um empréstimo é bom?

Saber identificar se um empréstimo é bom ou ruim pode fazer toda a diferença. Confira!

24 de Agosto de 2021 as 07h51

Nacionalização

Empresas de apostas estão mais próximas de se nacionalizar?

Com novas aprovações no congresso nacional, a regulamentação das apostas esportivas parece bem encaminhada.

16 de Agosto de 2021 as 13h37

Tradução

Quem pode realizar a tradução técnica no Brasil?

Quer descobrir um pouco mais sobre a tradução técnica e também quem pode realizá-la? Basta seguir a leitura!

02 de Julho de 2021 as 08h28

Apostas

Como escolher sua casa de apostas online

Resgatar seus prêmios ou acessar a seus lucros das apostas é algo bem simples no Brasil

23 de Junho de 2021 as 14h45

Estresse no trânsito pode desgovernar todo o corpo

Passar horas no trânsito ou por situações estressantes ao dirigir pode fazer o corpo adoecer. Confira aqui algumas dicas para manter o corpo e a mente saudável ao dirigir!

01 de Junho de 2021 as 10h18

Economia

Economia Cafeeira Em 2021, Como Anda o Mercado Atual

24 de Maio de 2021 as 11h19

Variedades

Jeans atravessa culturas e tempo, uma década depois as calças ficam mais largas

O ano é 2021, e pelo que tudo indica estamos vivenciando um novo ciclo da moda no que se refere às calças jeans. Jeans mais soltos e largos são a opção mais procurada no mercado consumidor.

21 de Maio de 2021 as 16h43

BBB21

'BBB21': Juliette é a campeã com 90,15% dos votos e ganha R$1,5 milhão

Com 90,15% dos votos, a campeã conquistou o público e levou para a casa o prêmio de R$ 1,5 milhão.

04 de Maio de 2021 as 23h48

Dicas para Escolha

Escolhendo a armação de óculos para o seu formato do rosto

o formato do seu rosto é um fator significativo para definir se um estilo específico de óculos vai caber em você

04 de Maio de 2021 as 16h32

Dicas

Atacado de roupas: Veja os benefícios para sua loja

Comprar roupas da moda em atacado para o varejo ou loja online pode ser altamente lucrativo.

04 de Maio de 2021 as 16h28

Dicas

Conheça os segredos para usar um vestido no inverno

Ficar quente, confortável e com estilo é totalmente possível, mesmo que a peça de roupa principal seja o vestido

04 de Maio de 2021 as 16h24

4 coisas que todo motorista deve considerar ao comprar um carro e que vai além do preço

O valor ao comprar um carro não é o único item importante, afinal, após sair da concessionária, o motorista terá de pensar em arcar com os outros gastos. Saiba quais são!

12 de Abril de 2021 as 09h05

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO